Sorvete de Amoras Pretas

Minha história com os sorvetes começou nesse blog. Em meados de 2014, eu trazia na mala de viagem uma sorveteira elétrica, que estava num preço muito bom, mesmo com a conversão do câmbio na época. Daí comecei a testar sabores variados: primeiro receitas clássicas da D. Stella, livros de sorvetes caseiros importados, e até um curso intensivo profissionalizante para criar minhas próprias receitas da sobremesa gelada. São 4 anos experimentando, estudando e testando receitas. Vou compartilhar aqui, algumas dicas e curiosidades para se fazer um bom sorvete, cremoso, sem corantes, conservantes ou espessantes de origem duvidosas.

O segredo de um bom sorvete, claro, está nos seus ingredientes. Optar por frutas da estação, um chocolate de boa qualidade, leite e creme orgânicos, fazem a diferença. Mas o segredo da cremosidade, diferente do que muita gente pensa, não está no leite, mas no açúcar. Tanto que os sorbets de boas gelaterias são extremamente cremosos, com textura aveludada, e não levam uma gota de leite ou qualquer tipo de gordura. A combinação de diferentes tipos de açúcares (industriais ou naturais) é o que irão conferir a textura do seu sorvete. Eles irão “roubar” as moléculas de água, responsáveis pelos cristais de gelo no sorvete, e devolver uma densidade para gelato. O açúcar diminui o ponto de congelamento do sorvete, por isso, quanto mais açúcar, menos “duro” ele fica.

Os diferentes tipos de açúcares, variam no teor de dulçor, e no ponto de congelamento. A receita ideal, portanto, requer cálculos matemáticos para se chegar no equilíbrio entre o doce e a textura. Para se fazer um sorvete caseiro, no entanto, não vejo necessidade de utilizar açúcares como glucose, dextrose, entre outros, para se ter um bom sorvete em casa. Mas se você tinha a dúvida de por que o seu sorvete não fica leve e cremoso como da gelateria na esquina de casa, agora já sabe que a razão é que eles utilizam uma combinação de açúcares especiais, para conseguir chegar naquela cremosidade.

Essa receita aqui não tem nenhuma elaboração especial. É a clássica receita de uma lata de leite condensado com uma lata de creme de leite, batidos com uma fruta ácida. Para não precisar utilizar produtos industrializados, você pode fazer seu próprio leite condensado caseiro, e utilizar a proporção de 2 para 1, de creme de leite fresco e de leite, para chegar na proporção de gordura ideal para esse sorvete. Como eu usei bastante amora preta, o sorvete ficou dessa cor magenta maravilhosa, reluzente nas fotos que você confere a seguir.

sorvete de amora
sorvete de amora
sorvete de amora
sorvete de amora
sorvete de amora
sorvete de amora
sorvete de amora
sorvete de amora
sorvete de amora
IMG_0985.jpg
sorvete de amora

Sorvete de Amoras

  • 500g de amoras pretas

  • 01 lata de leite condensado (395g)

  • 01 lata de creme de leite (300g) - tem que ser o de lata, por causa do teor de gordura

  • 02 colheres de sopa de leite (opcional)

  • 01 limão tahiti

  • raspas de 2 limões

  • 01 colher de sopa de extrato de baunilha

Modo de Preparo

Bata todos os ingredientes - exceto o leite - no liquidificador. Coe as sementes e deixe por umas 6 horas na geladeira. Na hora de bater, se o creme estiver muito espesso, coloque as duas colheres de sopa de leite e misture. Bata na sorveteira elétrica, conforme as instruções do fabricante. Coloque o sorvete num recipiente e leve ao freezer por pelo menos 3 horas antes de servir.

Caso não tenha a máquina, coloque num pote e leve ao congelador. A cada 3 horas, bata a mistura num processador para quebrar os cristais de gelo e se aproximar da textura do sorvete. Você vai ter que repetir este processo por pelo menos umas 3 vezes.